Música – Os videoclipes do OK Go.

ok_go_pop_art_by_lycansforce-d33ceoq

Já há alguns anos, a banda norte-americana OK Go é a que realiza os melhores videoclipes. Não há nenhuma outra banda atualmente que tenha a criatividade deles para fazer videos que, ao mesmo tempo que são inventivos, ajudam de forma impactante na divulgação de suas músicas.

Cada novo videoclipe do OK Go tem sempre, no Youtube, mais de 2 milhões de visualizações. Os mais famosos têm entre 30 a 50 milhões de visitas. Isto se deve, em grande parte, ao fato de a banda tratar cada um dos seus clipes como verdadeiras peças de arte independentes, com coreografias estilosas, vários objetos em cena (e às vezes, várias pessoas) e, na maioria dos casos, realizados em uma única tomada.

Os dois primeiros videoclipes que tornaram a banda famosa na internet foram o de “A Million Ways” (no qual eles fazem uma coreografia no quintal da casa da banda) e o de “Here It Goes Again” (neste, a banda utiliza 8 esteiras em uma sensacional coreografia). Dentre todos os videos lançados pelo OK Go até agora, o meu favorito (e que é também, sem dúvidas, o melhor clipe que vi até hoje) é o de “This Too Shall Pass”, onde inúmeros objetos vão produzindo uma gigante reação em cadeia (uma brilhante máquina de Rube Goldberg).

Abaixo, coloco os melhores videoclipes que a banda fez até este momento, incluindo o recém-lançado “Upside Down & Inside Out”, feito dentro de um avião em gravidade zero.

  • A Million Ways

  • Here It Goes Again

  • End Love

  • This Too Shall Pass

  • Needing/Getting

  • White Knuckles

  • The Writing’s On The Wall

  • I Won’t Let You Down

  • Upside Down & Inside Out

Música – The Vaccines

O The Vaccines é uma das melhores e mais interessantes bandas surgidas nos últimos anos. A banda inglesa (integrada por Justin Young no vocal e guitarra, Arni Arnason no baixo, Freddie Cowan na guitarra e Pete Robertson na bateria) foi formada em 2010 e com o seu primeiro disco (intitulado “What Did You Expect From The Vaccines?”) ganhou fama mundial. O The Vaccines tem uma sonoridade que mistura muito bem a velocidade, os poucos acordes e a pegada típica dos Ramones com elementos que lembram também bandas como o The Clash e, por vezes, o The Smiths. As letras das músicas tratam em sua maioria de assuntos cotidianos, destacando-se, em várias delas, as lamentações amorosas.

O disco de estréia da banda figurou merecidamente em importantes listas de melhores discos de 2010, pois é aquele disco que se ouve do início ao fim sem pular uma música sequer (tanto é que quase todas as músicas têm seus clipes) e, quando se termina de escutar uma vez,  ouve-se várias vezes seguidas. E isto é uma constatação: se você for escutar o primeiro disco deles e gostar, inevitavelmente você vai escutar inúmeras vezes e por vários dias. Aconteceu algo parecido quando ouvi o primeiro cd dos Strokes – “Is This It?” –  pois escutei incontáveis vezes seguidas alucinadamente e sem pular uma música.

A banda lançou neste ano de 2012 o seu segundo disco (“Come of Age”) que é tão bom quanto o primeiro e com uma sonoridade que os aproxima ainda mais dos Ramones (escute “Runaways” e comprove) e do The Clash (“No Hope” é um bom exemplo). O som deles neste segundo álbum está um pouco mais polido e maduro, um caminho que eu espero que eles continuem seguindo em um futuro terceiro cd.

O The Vaccines não é a salvação do rock (também quiseram dar, erroneamente, esse rótulo antigamente ao The Strokes, White Stripes, The Killers, Arctic Monkeys, etc.), até porque o rock nunca precisou ser salvo. E parodiando o título do primeiro disco da banda: o que esperar do The Vaccines? Se você quer que eles sejam a salvação do rock, então não espere nada. Agora, se você está afim de ouvir um bom rock descompromissado, básico e divertido (coisa que os Ramones fizeram como ninguém), então pode esperar muita coisa.

Abaixo coloco as músicas dos dois discos da banda.

As minhas preferidas do primeiro disco são: “If You Wanna”, “Wetsuit”, “All In White”, “Post Break-Up Sex”, “Blow It Up” e “Wolf Pack”.

Do segundo disco as minhas favoritas são: “No Hope”, “I Always Knew”, “Teenage Icon”, “All In Vain”, “Aftershave Ocean” (talvez a minha música favorita da banda até agora), “Weirdo”, “Change of Heart – Pt.2”, “Runaway” e “Misbehaviour”.

– Músicas do primeiro disco: What Did You Expect From The Vaccines?

1. Wreckin’ Bar (Ra Ra Ra)

2. If You Wanna

3. A Lack Of Understanding

4. Blow It Up

5. Wetsuit

6. Norgaard

7. Post Break-Up Sex

8. Under Your Thumb

9. All In White

10. Wolf Pack

11. Somebody Else’s Child

– Músicas do segundo disco: Come of Age

1. No Hope

2. I Always Knew

3. Teenage Icon

4. All In Vain

5. Ghost Town

6. Aftershave Ocean

7. Weirdo

8. Bad Mood

9. Change of Heart – Pt. 2

10. I Wish I Was A Girl

11. Lonely World

12. Runaway

13. Possessive

14. Misbehaviour

Música – Macaco Bong

Para quem gosta de rock instrumental e bem tocado, recomendo que ouça Macaco Bong, uma das melhores bandas surgidas no Brasil nos últimos anos. A banda, de Cuiabá e formada em 2004, é um power trio que mistura rock, jazz, fusion, etc. da mais alta qualidade; todos os três músicos – Bruno Kayapy (guitarra), Ynaiã Benthroldo (bateria) e Gabriel Murilo (baixo) – têm técnica musical apurada, muito acima da média. O primeiro disco deles lançado em 2008 (“Artista Igual Pedreiro”) foi considerado o melhor disco daquele ano pela revista Rolling Stone Brasil (premiação muito justa, diga-se de passagem).

Eles acabaram de lançar o segundo disco, “This is Rolê”, que pode ser baixado gratuitamente ou comprado no site http://macacobong.com.br/this-is-role/ e é tão bom quanto o primeiro. O rock nacional, apesar de combalido, ainda não morreu graças a bandas como o Macaco Bong. Gostaria de morar num país em que bandas como essa tivessem mais reconhecimento por parte da mídia em vez das mesmas porcarias e babaquices que tocam sempre nas rádios.
Abaixo, coloco 5 vídeos da banda tocando músicas do seu primeiro disco , 1  vídeo com uma música do novo disco (observação: nos vídeos abaixo, quem toca o baixo é o antigo baixista da banda, Ney Hugo. O novo baixista, Gabriel Murilo, gravou as músicas do segundo cd, “This is Rolê”) e também 1 vídeo da banda falando de sua nova fase com a entrada do baixista Gabriel Murilo.
5 músicas do cd “Artista Igual Pedreiro”
1 – Amendoim
2 – Noise James
3 – Fuck You Lady
4 – Bananas for All
5 – Rancho
1 música do disco “This is Rolê”
Broken Chocobread
Vídeo da banda falando de sua nova fase

Música – Gary Clark Jr.

Se você é um fã de blues e está querendo ouvir um excelente guitarrista da nova geração do blues, minha dica é: ouça Gary Clark Jr. Este cara é um dos melhores guitarristas a surgir nos últimos anos: tem muita técnica e toca com a alma (há guitarristas que têm boa técnica, mas falta o feeling, o sentir a música; Gary Clark sabe unir os dois, algo que só os grandes guitarristas conseguem); ele possui um estilo que por vezes lembra muito o do deus da guitarra Jimmy Hendrix. Além de Hendrix, Gary Clark Jr. já citou em entrevistas os seguintes guitarristas como influência para sua música (esta lista só contém mestres do blues): Albert King, Albert Collins (conhecido como “The Ice Man” ou “The Master of the Telecaster”), Theodore Roosevelt “Hound Dog” Taylor e Sam John Lightnin’ Hopkins.

Não bastasse estas credenciais, o cara foi o destaque do Crossroads Guitar Festival de 2010, festival de música organizado por Eric Clapton, e também do Bonnaroo Music Festival de 2011. A revista Rolling Stone norte-americana o elegeu como a maior revelação do ano de 2011 e colocou o seu EP (extended play, mini-álbum, geralmente com 4 músicas que os artistas lançam para divulgar seu trabalho) “Bright Lights” (que além da música título, é composto também por: “Don’t Owe You A Thang”, “Things Are Changin’ ” e “When My Train Pulls In”) como um dos melhores álbuns do ano de 2011.

Atualmente, Gary Clark Jr. está finalizando o seu primeiro cd, que será lançado em 23 de Outubro deste ano. Desde já, acredito que será um dos melhores discos do ano.

Abaixo, coloco vídeos com algumas excelentes performances de Gary Clark Jr. :

1. Gary Clark Jr. tocando “Bright Lights” no Crossroads Music Festival de 2010.

2. Tocando “If You Love Me Like You Say” (clássico de Albert Collins) no Bonnaroo Festival de 2011.

3. Performance de  “Please Come Home” com a Dave Matthews Band em Chicago (2011).

4. Versão acústica de “When My Train Pulls In”.