TOP 8 – Melhores filmes de Quentin Tarantino

Screen-Shot-2015-08-28-at-10.29.22

Com a estréia de “Os Oito Odiados”, elaboro, agora, meu top dos filmes de Quentin Tarantino. Só lembrando: eu considero (e o próprio Tarantino também) “Kill Bill Vol.1” e “Kill Bill Vol.2” um único filme que, só foi dividido em duas partes, por razões estritamente comerciais (Tarantino já externou algumas vezes que sua intenção original era de lançar o filme de uma única vez, mas, se fizesse isto, o mesmo teria uma duração em torno de quatro horas).

E, para que não viu ainda, coloco, antes do top, o curta-metragem “Tarantino’s Mind”, o qual traz, num bate-papo entre Selton Mello e Seu Jorge, várias ligações existentes entre os filmes do diretor.

08 – Jackie Brown_1997

2013-03-jackiebrownver8xlg

07 – À Prova de Morte (Death Proof_2007)

Death_Proof

06 – Os Oito Odiados (The Hateful Eight_2015)

thehateful8-teaser-poster

05 – Django Livre (Django Unchained_2012)

django-unchained-final-american-movie-poster

04 – Cães de Aluguel (Reservoir Dogs_1992)

reservoir-dogs.1315103 – Kill Bill_(Kill Bill Vol.1_2003/ Kill Bill Vol.2_2004)

kill_bill_silence_television_gianmarco_magnani_1

tumblr_n4k5nvk6C01tzuuzio1_1280

02 – Bastardos Inglórios (Inglourious Basterds_2009)

Inglourious_Basterds_poster

01 – Pulp Fiction_1994

movie-poster-pulpfiction

Advertisements

Especial Trilha Sonora – Quentin Tarantino – Jackie Brown

Levon-Biss_Quentin-Tarantino_071212-2894_V1

Os filmes de Quentin Tarantino são mais conhecidos por 4 elementos: a violência; as referências e homenagens a outros cineastas, filmes e gêneros cinematográficos (sobretudo – e tendo como base seus filmes lançados até agora – ao cinema policial/gângster/noir, ao cinema de samurai da década de 50, ao western spaghetti da década de 60, ao cinema de artes marciais das décadas de 60 e 70, ao cinema blacksploitation dos anos 70, aos filmes de carro/corrida e aos slasher movies – em especial o giallo italiano –  também dos anos 70); os diálogos afiados, cheio de palavrões, engraçados e que fazem referência a diversos aspectos da cultura norte-americana e a cultura pop de um modo geral; e, por fim, a trilha sonora impecável, com algumas músicas que só o próprio Tarantino conhece (ele tem uma coleção de discos invejável).  O aspecto ao qual eu vou me deter nesse Especial é justamente a trilha sonora. Vou passar a limpo a trilha sonora de todos os filmes de Tarantino, desde “Cães de Aluguel” até o recente “Django Livre”.

jackie_brown_01

E o primeiro filme que eu gostaria de falar é “Jackie Brown”, de 1997. Muita gente considera “Jackie Brown” com o pior filme da carreira de Quentin Tarantino. Eu não diria que é o pior, mas o “menos bom”, tendo em vista que não considero nenhum filme de Tarantino ruim (e espero que ele não lance nenhum filme ruim até o fim da carreira). A grande razão disso é o fato de o roteiro de “Jackie Brown” não ser de autoria do próprio Tarantino, mas uma adaptação de um romance policial de Elmore Leonard. Apesar do filme não estar no nível de, por exemplo, “Pulp Fiction” e “Cães de Aluguel”, ele com certeza tem seus méritos (as atuações de Samuel L. Jackson e Robert DeNiro são ótimas) e é uma grande homenagem que Tarantino presta ao cinema blacksploitation dos anos 70 (filmes originalmente feitos para a população urbana negra da década de 70 e com diversas referências à cultura negra norte-americana de um modo geral: as músicas – sobretudo o soul jazz e o funk -, as roupas, a maneira de falar, etc.). Uma das principais estrelas do cinema blacksploitation foi Pam Grier (fez dois filmes considerados clássicos do gênero: “Coffy”, de 1973 e “Foxy Brown”, de 1974), justamente a atriz que Tarantino chamou para estrelar “Jackie Brown”.

E a trilha sonora de “Jackie Brown”, como não poderia deixar de ser, também está recheada de soul jazz e funk. Mas não só isso: Tarantino conseguiu trazer na trilha sonora, além do soul jazz e do funk (“Bobby” Womack, The Brothers Johnson, The Delfonics, etc.) um pouco de country (Johnny Cash) e também da música psicodélica do final dos anos 60 e inicio dos 70 (há uma música de uma banda alemã chamada The Vampires’ Sound Incorporation da qual eu nunca tinha ouvido falar antes). É uma trilha sonora, sem dúvidas, excelente, talvez a melhor de todos os filmes de Tarantino até hoje.

Abaixo, trago as todas as músicas (tirando apenas as partes de alguns diálogos do filme e que também estão no disco) da trilha sonora de “Jackie Brown”. Para quem não quer ouvir tudo, as minhas favoritas são: “Across 110th Street”, “Strawberry Letter 23”, “Tenesse Stud”, “Natural High”, “Street Life”, “Didn’t I (Blow Your Mind This Time)”, “Midnight Confessions”, “The Lions and the Cucumber” e ” “Monte Carlo Nights”.

01. Across 110th Street – Bobby Womack

02. Strawberry Letter 23 – The Brothers Johnson

03. Who Is He – Bill Withers

04. Tenesse Stud – Johnny Cash

05. Natural High – Bloodstone

06. Long Time Woman – Pam Grier

07. (Holy Matrimony) Letter to the Firm – Foxy Brown

08. Street Life – Randy Crawford

09. Didn’t I (Blow Your Mind This Time) – The Delfonics

10. Midnight Confessions – The Grass Roots

11. Inside My Love – Minnie Riperton

12. The Lions and the Cucumber – The Vampires’ Sound Incorporation

13. Monte Carlo Nights – Elliot Easton’s Tiki Gods

Quentin-Tarantino-quentin-tarantino-17086804-1600-1200